Bagé 24 Horas - Sua fonte de notícias na cidade de Bagé - RS

Sexta-feira, 21 de Junho de 2024
Região sul terá período excepcionalmente seco e quente para o mês de junho

Geral
2658 Acessos

Região sul terá período excepcionalmente seco e quente para o mês de junho

Uma grande massa de ar quente com temperatura muito acima da média vai tomar conta de uma extensa área da América do Sul

IMPRIMIR
Use este espaço apenas para a comunicação de erros nesta postagem
Máximo 600 caracteres.

Uma grande massa de ar quente com temperatura acima a muito acima da média vai tomar conta de uma extensa área da América do Sul ao menos até a metade do mês, trazendo condições radicalmente distintas do normal para o clima de junho. O frio não será a tônica de agora em diante. Muito pelo contrário. Ao menos no curto e no médio prazos, dias de temperatura muito baixa não devem ocorrer no estado gaúcho e as marcas estarão mais próximas do que se registra em meados de abril do que em junho, no auge do período frio do ano. 

Ar mais quente começa a ingressar a partir de hoje no Rio Grande do Sul a partir do Noroeste e induz formação de nebulosidade nesta quarta no estado, especialmente no Sul e no Leste gaúcho, apesar de o sol aparecer com nuvens na maior parte do território gaúcho. A massa de ar quente que ingressa vai tomar conta do estado ao menos até a metade do mês com temperatura acima a muito acima desta época do ano. Até faz um pouco de frio na madrugada, anal as noites em junho são longas, mas as tardes terão marcas muito acima da média.

No interior, muitos dias com tardes quentes para os padrões de junho pela frente. No Oeste, Noroeste e nos vales, em alguns dias, especialmente da semana que vem, as tardes terá máximas ao redor ou acima de 30ºC.  A tendência é de a atmosfera sobre o Sul do Brasil estar com temperatura acima a muito acima da média desta época do ano todos os dias entre hoje e a metade do mês com aquecimento mais acentuado na semana que vem e perto do nal da primeira quinzena de junho.

 A persistência do ar quente, que bloqueia a instabilidade, provocará uma supressão da instabilidade no Sul do Brasil. Por isso, depois do fim de abril e o maio trágico das águas, a tendência é de chuva escassa no estado por um longo período no Rio Grande do Sul. 

Fonte: MetSul Meteorologia 

 

 

 

Comentários: